Crónicas do autor:

Deng Xiaoping e a tragédia (grega)

Três números resumem a tragédia grega: o seu PIB diminuiu na última meia década a 3% ao ano; a taxa de desemprego aumentou 23% anualmente atingindo 27% (58% entre os jovens); e a sua dívida externa líquida disparou de 74% do PIB para 131%, cresceu a ...

A pergunta que Drucker não fez

O objectivo de uma empresa é criar um cliente. De facto, o único centro de lucro numa organização é um cheque de um cliente e que … não bata na trave. Tudo o resto são custos (Drucker).

Evidência empírica de más notícias

Numa entrevista recente, Maucher, CEO e/ou chairman da Nestlé entre 1980 e 2000 dizia que para se ser um bom gestor, no longo prazo o carácter é mais importante do que skills, conhecimentos ou intelecto. E acrescentava. Ao selecionar “olho a ...

Relembrando Drucker: a doença do estado (e a respectiva cura)

Nunca como hoje o estado foi tão proeminente. Em tamanho (em média as despesas do governo na UE representam 44,4% do PIB) e em intromissão na vida dos cidadãos e das empresas. Vigilância. Controlos. Questionários. Inquéritos. De todo o tipo. E em ...
Nota de fecho

A primeira das causas

Na peça Júlio César de Shakespeare, a dada altura Cassius diz a Brutus: “a falha caro Brutus, não está nas estrelas mas em nós próprios”, ilustrando a raiz de todas as causas, para o 1) bem, 2) liberdade e 3) progresso. O seu nome?: ...

O lobbying em Portugal

Antes Portugal era um estado corporativo. Hoje é um país de lobbies. Sendo estes como os herdeiros daqueles. E não é assim surpreendente que a regulamentação portuguesa sobre lobbies oscile entre o inexistente e o inoperacional. Apesar de quatro ...

Reindustrialização?

Fala-se muito hoje na necessidade de reindustrializar a Europa. E Portugal, é claro. O que é obviamente um disparate. Defender a indústria contra os serviços faz tanto sentido como há algumas décadas defender a agricultura contra a indústria.

O declínio português

José António de Sousa, Presidente da Liberty Seguros Portugal, referiu-me um artigo de Vasco Pulido Valente no Publico, onde o meu ex-professor (no hoje ISEG, antigas “Económicas”), descreve o declínio de Portugal desde a perda do Brasil ...

Páginas